Exposição do Toulouse-Lautrec no MASP

Vamos falar um pouco dessa exposição? Está maravilhosa? Tá. Está lotada? Tá. O ingresso do MASP está caro? Também tá! rs

Tive oportunidade de ver essa exposição em julho, numa terça-feira, porque afinal, R$30,00: não tá sendo fácil! E, obviamente, não somente eu tive essa ideia, mas praticamente SP inteira, já que às terças, o MASP é de graça.

Mas não se deixe espantar pelo tamanho da fila (que pode dar voltas e mais voltas no vão do MASP), porque ela anda relativamente rápido. Leve um livro para ler ou compre um dos autores que vendem ali.

Toulouse-Lautrec Em Vermelho é simplesmente a maior exposição desse artista que o Brasil já teve: são 75 obras reunidas, entre pinturas, cartazes, gravuras e cartas.

O MASP mesmo detém 11 obras de Toulouse, mas somente nove estão expostas. O restante da obra veio de museus espalhados pelo mundo, como o Orsay de Paris, o Tate e o Victoria & Albert de Londres, e o Thyssen-Bornemisza de Madri.

A obra que abre a exposição (a que vemos logo ao entrar) pertence ao MASP: é O Divã de 1893.

A exposição do MASP aborda desde as produções iniciais de Toulouse, por volta de 1880, até o fim de sua vida em 1901. O nome, Em Vermelho, faz alusão ao salão de uma das casas parisienses que Toulouse frequentou e onde criou amizade com as mulheres que ali trabalhavam.

Os personagens que vemos nas obras ali reunidas são burgueses, boêmios, dançarinas, artistas e trabalhadores de Paris e que faziam parte do círculo de convivência do artista.

A exposição está dividida em cinco núcleos: as maison closes (casas fechadas), as mulheres, retratos masculinos, e a vida noturna (nos quarto e quinto núcleos).

Vale a pena ressaltar que na parte dos retratos femininos, as mulheres não possuem nome, diferentemente dos homens, que são todos nomeados. A gente já consegue deduzir onde Toulouse-Lautrec queria chegar, né (espero não precisar desenhar)?

A exposição está realmente linda e os traços de Toulouse são únicos. Para quem quiser encarar a terça-feira (por ser de graça), recomendo paciência: não é fácil andar em fila indiana, a sala (que é pequena) fica lotada… resumindo: uma desgraça, rs! Mas ainda assim, dá para sentir bem o clima da exposição e das obras.

Quem tiver R$30,00 sobrando, provavelmente encarará uma exposição mais vazia (durante a semana). Estudantes pagam meia.

Lembrando que o MASP funciona de terça a domingo, das 10:00 às 18:00, e na quinta-feira, eles fecham mais tarde, às 20:00. A exposição Toulouse-Lautrec Em Vermelho vai somente até o próximo domingo, 1º de outubro.

É possível comprar ingressos antecipadamente através do Ingresso Rápido. E se não estiver muito enganada, no dia 1º de outubro, a entrada será gratuita em comemoração aos 70 anos do MASP (o mês inteiro, acho) – mas tem que reservar com antecedência (não faz alocka!).

Foto: Toulouse-Lautrec em Vermelho (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s