Cappella Brancacci

Cappella Brancacci fica dentro da igreja Santa Maria del Carmine em Florença e representa um dos melhores exemplos de pintura renascentista.

Uma obra feita por dois dos artistas mais importantes da época: Masaccio e Masolino da Panicale, e ainda terminada por Filippino Lippi 50 anos mais tarde.

Na metade do século XIII, um grupo de frades de Pisa fundou em Florença uma igreja dedicada a Virgem do Carmelo. Os trabalhos de construção foram feitos com o auxílio do governo e de algumas das famílias mais ricas da cidade.

A obra foi terminada somente dois séculos depois, em 1475, e ainda assim a fachada permanecia incompleta. Ainda hoje ela não está totalmente terminada. Os terrenos em volta foram comprados aos poucos, o que permitiu a expansão do complexo.

Com o tempo, vieram o primeiro claustro, o dormitório, o refeitório e a enfermaria. Assim como a decoração do local também evolui com os primeiros afrescos. A importância do convento também cresceu com o passar do tempo.

Como outras igrejas, a Santa Maria del Carmine teve que passar por ajustes do Conselho de Trento. A pedido de Cosimo I, Giorgio Vasari renovou os altares e foram feitos trabalhos de modernização entre os anos de 1597 e 1612.

Com a modernização do claustro, perdeu-se o afresco da Sagra de Masaccio.

A construção ainda seria afetada por um incêndio no final do século XVIII, que destruiu todo o interno da igreja: restaram apenas a antiga sacristia, a capela Brancacci e a capela Corsini.

A capela Brancacci, o principal motivo de visitação dessa igreja, pertencia a essa família de Florença muito importante. No final do século XIV, Felice Brancacci resolve reunir uma comissão para executar os afrescos.

Contando a história de São Pedro, o santo a quem a capela era originalmente dedicada, trabalharam juntos Masolino e Masaccio, porém aquele partiu para a Hungria e este, para Roma, então os afrescos ficaram inacabados.

Com o exílio dos Brancacci, que caíram em desgraça por conta de sua inimizade com os Medici, os frades do convento resolveram apagar todos os personagens ligados à família e a capela então passou a ser dedicada a Madonna del Popolo.

Apenas no final do século XV, Filippino Lippi resolveu terminar as cenas que faltavam.

Essa capela é uma verdadeira sobrevivente, já que no final do século XVII, correu o risco de ser transformada em uma capela barroca, a pedido da duquesa Vittoria della Rovere. Ainda nesse século, algumas intervenções destruíram parte das pinturas. Além, é claro, de ter escapado do incêndio mencionado acima.

Ainda por cima, os afrescos sofreram com a exposição ao pó, sendo somente restaurados na década de 1980, quando recuperaram sua forma limpa e brilhante, como podemos ver atualmente.

A capela pode ser visitada por um grupo máximo de 30 pessoas ao mesmo tempo e por apenas 20 minutos no total. E seu acesso não é feito por dentro da igreja, mas através do claustro, que fica no número 14 da Piazza del Carmine. O ingresso custa €6,00.

A capela fica aberta de segunda a sábado, das 10:00 às 17:00, mas é fechada às terças. Aos domingos, ela funciona somente das 13:00 às 17:00. Pode ser mais interessante agendar sua visita, dependendo da época do ano.

Foto: Cappella Brancacci (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s