Fiorella Mannoia

Fiorella Mannoia, uma das maiores cantoras italianas.

Nasceu em Roma, em 4 de abril de 1954. Sua carreira começou aos 14 anos, mas incrivelmente, não começou como cantora, mas como dublê, seguindo os passos do pai, Luigi Mannoia. Durante o início dos anos 70, ela participou de alguns filmes de faroeste.

No mesmo ano, 1968, em que estreou nas telas como dublê, ela participou do Festival de Castrocaro, não venceu, mas conseguiu um contrato com a gravadora Carisch, lançado o LP “Ho Saputo Che Partivi/Le Ciliegie” e depois, no ano seguinte, “Gente Qua Gente Là/Occhi Negli Occhi” e “Mi Piace Quel Ragazzo/Occhi Negli Occhi”.

Na década de 70, ela mudou de gravadora duas vezes, e continuou lançado LPs. Nos anos 80, um novo contrato e sua primeira participação em Sanremo em 1981 com a música “Caffè Nero Bollente”, ficando em 11º lugar.

Três anos depois, ela participou novamente de Sanremo, com uma das músicas mais importantes de sua carreira: “Come Si Cambia”, mas ficando somente em 14º lugar. Nessa década, também participou com constância do Festivalbar.

Em 1987, nova participação em Sanremo, ficando em 8º lugar, mas levando pela primeira vez o Prêmio da Crítica com “Quelle Che Le Donne Non Dicono”. No ano seguinte, ela participou de novo com “Le Notti di Maggio”, ficando em 10º lugar, mas levando de novo o Prêmio da Crítica.

Na década de 1990, lançou uma antologia e um álbum ao vivo, além de outros álbuns de estúdio, com importantes colaborações, como Francesco de Gregori e Enrico Ruggeri, além de um dueto com Caetano Veloso.

No começo dos anos 2000, provavelmente sua maior ligação com a música brasileira: o disco Onda Tropicale, lançado em 2006, no qual ela trabalhou juntamente com os grandes nomes da nossa música: Milton Nascimento, Gilberto Gil, Chico Buarque, Carlinhos Brown, Chico César, Djavan, Lenine, Jorge Benjor e Adriana Calcanhotto.

Talvez dessa colaboração surgiria, seis anos mais tarde, seu álbum Sud.

Nessa última década, Fiorella se empenhou muito em colaborações com outras mulheres, trabalhando ao lado de Laura Pausini, Giorgia, Elisa, Gianna Nannini, Alessandra Amoroso, Chiara e Noemi, esta última, ela participou de alguns shows.

Participou este ano de Sanremo, ficando em 2º lugar com a música “Che Sia Benedetta”, e levando – novamente – o Prêmio da Crítica.

Essa participação da Fiorella no programa Todo Seu dois anos atrás explica um pouco do seu álbum Sud, lançado em 2012. Foi com este álbum que a conheci, pois soube da apresentação que ela faria no Ibirapuera em 2014 para divulgação do álbum.

Particularmente, gosto demais desse álbum, que é uma homenagem ao hemisfério do sul do planeta. E nem tinha percebido que a foto da capa foi feita aqui no Brasil. Também me surpreendi com o português da Fiorella.

Achei a participação dela em Sanremo desse ano simplesmente incrível, mesmo não tendo gostado muito da música inicialmente, a presença de palco dela foi maravilhosa!

É uma das maiores cantores italianas da atualidade e, diria, de todos os tempos. Recomendo fortemente!

Foto: Fiorella Mannoia (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s