Basílica de Superga

Basílica de Superga também é conhecida como Basílica Real de Superga e surge na colina que mesmo nome a oeste de Turim. Sua construção foi um desejo do rei Vittorio Amadeo II, em agradecimento a Virgem Maria, depois de ter vencido os franceses que assaltavam Turim no século XVIII.

Dizem que quando Vittorio Amadeo II e o príncipe Eugenio de Savoia subiram a colina para observar Turim sendo assaltada pelos franceses, Amadeo de joelhos jurou que caso conseguissem a vitória, faria um monumento em homenagem a Virgem.

A vitória aconteceu na tarde de 7 de setembro de 1706 e por conta dela, o próprio Amadeo, antes duque, foi coroado rei da Sicília.

O responsável pelo projeto foi Filippo Juvarra e acredita-se que ele tenha sido desenhado em 1715, mas as construções começaram somente dois anos depois e demoraram 14 anos para terminar.

Subir as colinas de Superga era penoso e alguns pobres burrinhos tiveram que carregar todo o material para a construção da basílica. Antes mesmo da construção terminar, Amadeo já não era mais rei, tinha abdicado do trono por seu filho, Carlo Emanuele III.

Os subterrâneos dessa basílica abrigam as tumbas reais da família Savoia.

No século XIX, quiseram transformar essa basílica em um “templo de reconhecimento”. As tumbas deveriam ter sido passadas para outro lugar e dar lugar às cinzas dos piemonteses que morreram na guerra contra os jacobinos, mas nada disso aconteceu.

A imponente basílica tem 51 metros de comprimento e 75 metros de altura. Somando essa altura da basílica com os mais de 670 metros da colina de Superga, resulta em ver a basílica de quase qualquer lugar de Turim.

Todo o complexo é formado pela basílica, as criptas reais, um convento, a sala dos Papas, os apartamentos reais e um monumento a Umberto I. Existe também um segundo monumento dedicado à Tragédia de Superga: o avião que levava o time Grande Torino, que bateu em uma das partes da Basílica e matou todos a bordo. Leia mais sobre o acidente aqui.

Visitar a basílica é gratuito e ela é aberta todos os dias, mas em caso de tempo ruim, sua abertura não é garantida.

Quem quiser visitar as tumbas reais e os apartamentos, deve pagar €5,00 pelo ingresso (gratuito com o Torino+Piemonte Card). Eles ficam abertos de março a outubro, de segunda a domingo, das 10:00 às 13:30 e das 14:30 às 19:00, sendo fechado às quartas; de novembro a janeiro, somente aos sábados, domingos e feriados, fechando às 18:00; e em fevereiro somente aos domingos e feriados.

Para subir na cúpula, deve-se pagar um ingresso de €3,00, gratuito com o Torino+Piemonte Card. Os horários de funcionamento são os mesmo das tumbas reais e dos apartamentos.

De Turim, para visitar a Basílica de Superga, basta pegar a linha 15 em direção a Sassi da Piazza Castello ou a linha 61 ou 68 em direção a Sassi da Piazza Vittorio. Da estação de Sassi, deve-se pegar o tram até Dentiera e ainda fazer o restante do caminho a pé.

Fotos: Basílica de Superga (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s