Top 5: lidos em 2016

Confesso que se eu ouvi um álbum italiano inteiro esse ano foi muito. Também não ouvi muitas músicas lançadas em anos anteriores, o que me deixou em um impasse: como fazer o Top 5? Simplesmente mudando o foco.

Esse ano, dediquei muito do meu tempo à literatura e confesso que simplesmente adorei (e estou orgulhosa de mim mesma, rs). Li muitos autores italianos ou livros relacionados à Itália, então fazer o Top 5 é relativamente fácil.

Ou não.

Porque li muita coisa boa que gostaria de recomendar. Alguns livros, já comentei aqui no blog, outros ainda não, mas para esse Top 5 vou focar em livros escritos por italianos ao invés de livros relacionados à Itália.

Vamos lá! Os livros estão em ordem aleatória de preferência.

Gomorra, de Roberto SavianoGomorra
Roberto Saviano

Este livro de Roberto Saviano é simplesmente um soco no estômago de tão indigesto, mas é absolutamente necessário.

A exposição da máfia feita por ele nos atinge em cheio. É horrível perceber o quão infiltrada a máfia está na vida nos italianos, em coisas que nem imaginamos que seria possível.

Simplesmente um livro imperdível. Comentei dele nesse post aqui e do filme adaptado aqui.

Uno, Nessuno e Centomila, de Luigi PirandelloUm, Nenhum e Cem Mil
Luigi Pirandello

Esqueça todos os livros que falam sobre crise existencial porque esse clássico de Luigi Pirandello é o que aborda esse tema da forma mais divertida e inusitada possível.

Impossível não amar Pirandello e sua escrita, além de seu senso de humor após essa leitura. Vale cada linha lida para se divertir e refletir sobre a vida, afinal, somos um, nenhum ou cem mil?

Comentei sobre o livro nesse post aqui.

Caro Michele, da Natalia GinzburgCaro Michele
Natalia Ginzburg

Natalia Ginzburg foi a mulher que elegi como minha autora de 2016. Li apenas dois livros delas, mas tão destruidores e tão arrebatadores que ficou impossível não escolhê-la.

Em Caro Michele, temos trocas de carta entre mãe e filho e uma época delicada da vida dele. Podemos captar toda a preocupação e ir conhecendo os personagens nessas poucas linhas trocadas entre eles.

Um livro simplesmente incrível. Pretendo fazer um post sobre ele. E se você se interessou, corre porque ainda restam poucas unidades dele em português.

Pinocchio, de Carlo CollodiPinocchio
Carlo Collodi

Nunca tinha lido e me lembrava muito pouco da adaptação da Disney para os cinemas. Depois, assisti novamente a adaptação e não gostei muito.

Pinocchio é uma história para crianças, mas consegue encantar adultos ainda assim. A magia do livro é que ele não dura alguns dias, como o filme dá a impressão, mas sim um período entre infância e adolescência.

As punições são duras, mas as mensagens por trás delas são importantes. Falei desse livro aqui.

A Filha Perdida, da Elena FerranteA Filha Perdida
Elena Ferrante

Por fim, não podia faltar a nova sensação no mundo literário, a enigmática Elena Ferrante. Fiz um post só para ela.

Resolvi arrumar um tempo para ler alguma coisa dela ainda esse ano e escolhi um romance avulso (sem ser a série napolitana).

A Filha Perdida, já lançado no Brasil, aborda o tema da maternidade de uma forma, digamos, ousada: mostrado o seu lado mais difícil enquanto entramos na mente de uma mulher de meia idade que resolve passar as férias na praia e acaba ficando obcecada por uma família.

A leitura é fluida, mas o conteúdo é denso. Livro muito bom. Farei post em 2017, se tudo der certo! rs

Olha, não foi fácil montar esse Top 5 porque ficou muita coisa de fora, como meu amado Italo Calvino (li quatro dele esse ano), além das biografias do Michelangelo e de São Francisco de Assis, os incríveis poemas de Pier Paolo Pasolini, As Pequenas Virtudes da Natalia Ginzburg, que é simplesmente sensacional, a incrível peça de teatro “Seis Personagens à Procura de um Autor” de Pirandello e os maravilhosos romances da Marlena de Blasi, todos relacionados à sua vida na Itália.

Enfim, só posso esperar que 2017 seja um ano tão produtivo literariamente como 2016 foi! E quero ler mais da Elena Ferrante (e do Calvino, e da Ginzburg, e do Pirandello…)!

Fotos: Capas dos livros (Reprodução)

Anúncios

2 comentários sobre “Top 5: lidos em 2016

  1. Thais disse:

    Ciao bella!
    Confesso que elencar um top 5 não seria o meu forte… parabéns!
    Destes que vc listou eu li A Filha Perdida, o qual compartilho da mesma opinião. Da Elena Ferrante baixei mais outros dois títulos( em português) que ainda não li. Pirandello, baixei Uno, Nessuno e Centomilla, comecei a ler (em italiano) mas interrompi, volto a ele nas minhas férias. Quanto aos outros títulos fiquei bastante disposta a procurar e ler.

    Buon Capodanno e Auguri di salute, amore, felicità e anche un po’ di soldi!

    Bacione!

    Curtir

    • Isabela disse:

      Ciao, bella!

      Bem difícil elencar esse Top 5. Tentei variar autores, mas ficou muita coisa boa de fora!
      Uno, Nessuno e Centomila é incrível. Um pouco confuso, mas ainda assim incrível!

      Tanti auguri di buon anno nuovo anche a Lei e la sua famiglia!
      Baci!

      Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s