Um, Nenhum e Cem Mil

Um, Nenhum e Cem Mil de Luigi Pirandello por Una lucciola...

Quando terminei de ler esse livro, minha cabeça quase explodiu, rs.

Se pararmos para pensar, a ideia do livro não é tão original porque de uma forma generalizada, ele fala sobre a busca pela identidade, mas a forma como Pirandello escreve sobre isso é simplesmente genial.

Em Um, Nenhum e Cem Mil (Uno, Nessuno e Centomila), temos como protagonista Vitangelo Moscarda.

Em um dia como todos os outros, a tranquilidade de Vitangelo é perturbada com um comentário inocente de sua mulher, Dida, que diz que seu nariz pende para o lado direito.

Com esse comentário sem, aparentemente, nada demais, ele descobre que na verdade não se conhece como achava que se conhecia: a forma como ele se via não era, definitivamente, como os outros o viam.

Para descobrir quem ele realmente é, decide por mudar radicalmente seu estilo de vida, tomando decisões que vão contra sua natureza, como tomar a casa de uns conhecidos para depois doá-la a eles.

Conforme Vitangelo vai tentando se encontrar, ele acaba por juntar alguns inimigos pelo caminho que acham que ele está louco.

A ideia de que os outros viam em mim alguém que não era eu tal como eu me conhecia, alguém que só eles podiam conhecer olhando-me de fora, com olhos que não eram os meus e que me davam um aspecto fadado a ser sempre estranho a mim, mesmo estando em mim, essa ideia não me deu mais descanso.

Essa reflexão do Pirandello de que somos um, mas ao não sermos como realmente somos, tornamo-nos nenhum, e por conta da forma que todas as outras pessoas nos veem, somos cem mil, é simplesmente genial.

Impressionante como ele conseguiu pegar um argumento tão batido e conseguiu transformá-lo nesse incrível romance, profundo e divertido, com o típico senso de humor pirandelliano.

Impossível não amar e não se sentir até mesmo perturbado após terminar de ler esse livro, afinal, é muito difícil conseguirmos mostrar aos outros quem realmente somos – ou pensamos ser. E dificilmente ninguém irá nos perceber de forma igual a outra pessoa.

Somos todos um, nenhum e cem mil ao mesmo tempo!

PS.: infelizmente que editava e publicava o livro no Brasil era a Cosac Naify e todas as cópias desse livro já foram vendidas. Com sorte, quem sabe em algum sebo por aí…

Foto: Um, Nenhum e Cem Mil de Luigi Pirandello por Una lucciola…

Anúncios

Um comentário sobre “Um, Nenhum e Cem Mil

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s