Michelangelo – Uma Vida Épica

Michelangelo: Uma Vida Épica por Una lucciola...

“Amor da minha vida, daqui até a eternidade…”

Desejei muito essa biografia desde que ela foi lançada em setembro de 2015, mas o preço… quase 130 temers (na época, dilmas): não está fácil.

Acontece que a editora Cosac Naify anunciou o encerramento das atividades em dezembro de 2015, com isso, o estoque passou para as mãos da Amazon, que toda terça faz uma promoção relâmpago com até 70% de desconto nos livros da editora.

Perdi a primeira vez (foi triste!), mas consegui comprar por R$54,90 – bem mais pagável, não é mesmo? Atualmente, o livro está com desconto por R$84,40 (clica aqui).

Arrisco a dizer que essa biografia de Martin Gayford, Michelangelo: Uma Vida Épica, seja a definitiva sobre a vida do grande artista. O livro é colossal, como quase tudo que ele tentou fazer na sua vida, com 750 páginas, com muitas notas, referências e caderno de imagens.

Michelangelo foi uma verdadeira celebridade para sua época, ganhando muito dinheiro. Ainda assim, vivia de forma espartana. E o que fica bem claro ao longo de todo livro é o gênio difícil do artista.

Não teve muitos amigos porque ele era: grosseiro, carrancudo e avarento. Porém quando ele gostava de alguém, conseguia ser uma pessoa muito amável.

O problema era ele gostar de alguém, rs.

Michelangelo viveu sua vida tentando resgatar a origem nobre de sua família, talvez por isso ele não gastava muito dinheiro. Teve relação conflituosa com o pai até o fim da vida dele, afinal, os dois brigavam pelo posto de homem da família.

Martin Gayford aborda todos os aspectos da vida do “astro”: da infância até seu último dia, do cenário político na Itália de Michelangelo até suas grandes realizações, da sua vida como escultor até suas poesias.

O grande amor da vida de Michelangelo foi um jovem romano, Tommaso de’ Cavaliere, para quem dedicou muitas poesias e provavelmente seus melhores desenhos.

“Eu sou, de todos os homens, o mais inclinado a amar as pessoas. Quando vejo alguém que deve ter talento, que deve mostrar alguma vivacidade mental, que deve saber fazer ou dizer algo melhor que os demais, fico propenso a me apaixonar por ele, e me torno presa dele de uma maneira que já não sou eu mesmo: sou todo dele”.

No âmbito intelectual, sua grande paixão foi Vittoria Colonna, com quem também trocou muitas poesias e desenhos (alguns estão expostos em Londres). Vittoria é considerada uma das maiores poetizas italianas de seu tempo e foi responsável por mostrar novas possibilidades religiosas para Michelangelo.

Aparentemente, seus dois amores foram eternizados no Juízo Final na Capela Sistina, aos pés de Cristo. Vittoria escondida atrás da escada e Tommaso atrás de São Bartolomeu.

Michelangelo pegou muitos projetos, mas finalizou poucos porque tinha o péssimo hábito de querer fazer tudo sozinho. Tanto que é um dos poucos artistas da época que não fez escola: não teve alunos, que poderiam até continuar seus trabalhos.

Essa biografia não é uma análise de suas obras, passa longe disso. Ela é realmente sobre a vida do artista, complementada com o cenário político e com as críticas recebidas por Michelangelo ao longo de sua carreira. Ele trabalhou praticamente até a véspera de sua morte, já muito debilitado.

O mundo tem muitos reis, mas um único Michelangelo.

Fato. Para quem quiser conhecer a vida desse incrível artista, livro recomendadíssimo!

Foto: Michelangelo: Uma Vida Épica de Martin Gayford por Una lucciola…

Anúncios

3 comentários sobre “Michelangelo – Uma Vida Épica

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s