#Eurotrip2015: dia 11

#Eurotrip2015: dia 11 por Una lucciola...

headphone Para ler ouvindo: Il Mio Giorno Più Bello Nel Mondo – Francesco Renga
“O meu dia mais lindo do mundo, eu vivi com você. Só você me doou um sorriso que nasce mesmo quando não existe um motivo”.

Dia de pegar mais um trem, dessa vez, sem malas para um bate e volta. O lado bom da mudança de horário que é às 7:00 já estava bem claro.

O que mais me chamou atenção nessa viagem em específico foi o serviço ruins de trens regionais. Mesmo sempre ouvindo que o serviço era ruim, das duas outras vezes que estive na Itália, praticamente não tive problemas.

Mesmo em Bolzano, o trem que peguei para Vipiteno foi pontualíssimo tanto na ida quanto na volta. O problema começou depois de Verona, quando o serviço começou a desandar.

Agora, existe Trenord, pelo que entendi, um braço da Trenitalia que atua na Lombardia. Uma das funções era suprir as necessidades da EXPO Milano. Trenord, um recado para você: se a intenção era servir a EXPO, você errou feio, errou rude.

Se o serviço prestado ao longo desses seis meses foi o que eu presenciei em quatro dias, então ele não foi ruim, ele foi péssimo. Porque dos 12 (se não errei as contas) trens que eu peguei depois de Bolzano, 10 atrasaram.

A impressão que dava é que os trens regionais ficavam parados no meio de um percurso para que os trens de alta velocidade pudessem passar. O maior atraso foi o de 30/40 minutos entre Verona e Treviglio, mas ainda assim os outros atrasavam uma média de 10 minutos. Quando o trem é direto, ok, mas quando você tem conexão, que normalmente são intervalos de 10 a 15 minutos: não dá.

Terminado o meu momento desabafo, vamos falar de coisa boa, vamos falar do meu destino de hoje:

Lago de Como

Lago de Como

Primeiro eu preciso agradecer a Deus, aos céus, a energia cósmica que rege esse planeta pelo abençoadíssimo dia de sol. Porque considerando que outubro é um mês chuvoso, eu pedi, implorei que se fosse fazer um único dia de sol na minha viagem, que fosse este.

Lago de Como por Una lucciola...

E que dia abençoado!

Fazer algum dos grandes lagos italianos era uma vontade antiga. Como fiquei em Bergamo, Como era o mais próximo deles. E que lindeza de dia!

Inicialmente, tinha decidido descer em Varenna, mas eu teria que fazer uma troca em Lecco de qualquer jeito, então resolvi parar na cidade por motivos de: queria andar pelo seu calçadão cheio de árvores, rs.

Calçadão com árvores <3

Calçadão com árvores <3

Antes de chegar a cidade, já é possível ver o lago e que panorama belíssimo. Lecco é uma cidade diferente das duas que eu visitaria depois, Varenna e Bellagio, porque ela é mais urbana. Na baía já tem muitos barcos, é um cenário diferente.

Ainda assim, a vista do lago é maravilhosa! É possível ir de Lecco até Varenna de barco, mas é muito mais caro. De trem, custa menos de €3,00 e o trajeto leva menos de 40 minutos (se o trem não atrasar).

E eu já adianto: não façam esse roteiro vida loka que eu fiz. E olha que quem está falando isso é uma pessoa que quer fazer tudo em um dia, ligada no 220V. Escolha duas cidades e não quatro para fazer em um dia. Obrigada. De nada, rs.

O centro de Varenna

O centro de Varenna

Varenna é uma cidade deliciosa e CHEIA de coisas para fazer. Além das duas belíssimas vilas, que são os postais da cidade, você ainda pode fazer uma trilha até o Fiumelatte, o rio mais curto da Itália, mas que é temporal: ele cessa no começo de outubro até final de maio, ou a trilha perto do céu para chegar ao Castello di Vezio.

Castel di Vezio: perto do céu

Castello di Vezio: perto do céu

Primeiro, eu sabia que não teria preparo para subir até o Castello di Vezio. Eu estava que nem Cantareira: só o volume morte, rs. Então optei por conhecer as vilas. Eu não quis arriscar ir até o Fiumelatte e ver um rio seco, mas quando passei pela estação Fiumelatte fiquei atenta e achei ter visto um rio descendo até o lago.

Ah sim, ele recebe esse nome porque ele é branco, como o leite. Veja uma foto.

Hotel Villa Ciprese

Hotel Villa Cipressi

As vilas de Varenna (Cipressi e Monasterio) são incrivelmente lindas. Amo um jardim, então minha vontade era de morar em uma delas eternamente, rs. A Villa Cipressi hoje é um hotel 3 estrelas e a Villa Monasterio virou um museu. Ambos os jardins são pagos.

Eu diria que eles são diferentes, mas se você tiver que escolher só um, acho que o da Villa Monastero é mais interessante por ser maior.

Igreja de San Giorgio

Igreja de San Giorgio

Já era próximo das 13:00 e eu estava com fome. As refeições são incrivelmente caras porque são a beira do lago. Um prato de massa dificilmente sai por menos de €15,00 (e mais o coperto, a taxa para você sentar). Peguei um panino feito na hora e incrivelmente bom, sentei à beira do lago, com os patos e pronto: almoço com vista incrível ✓

Almoço com vista!

Almoço com vista!

Segui para pegar um traghetto para Bellagio. De Varenna a Bellagio existem barcos saem a cada meia hora, se não me engano e fazem o percurso em 15 minutos. Tem ainda o rápido que faz em 6 minutos, mas você paga uma taxa a mais de €2,50.

Traghetto para Bellagio

Traghetto para Bellagio

Que vista incrível do barco tanto para Varenna quanto para Bellagio.

Varenna vista do lago

Varenna vista do lago

A incrível Bellagio

A incrível Bellagio

Lembram do casal brasileiro recém casado que eu conheci no trem para Bergamo? Então, eles planejavam ir a Bellagio. Eu espero que eles tenham tido a oportunidade de conhecer essa cidadezinha incrível!

Em Bellagio, eu tive que ser meio rápida porque queria pegar o barco veloz que saia para Como e fazia o trajeto em 45 minutos contra as 2 horas do regular. Eu ainda queria pegar Como antes do sol se por, o que acontece antes das 17:00 após o fim do horário de verão.

A incrível Villa Melzi

A incrível Villa Melzi

Visitei a Villa Melzi, que é super famosa e incrivelmente linda. Hoje ela é propriedade particular, mas os jardins são abertos – e pagos, claro!, porque nada nessa vida é de graça. Mas vale bastante a pena. O lugar é enorme e dá para ficar horas ali fazendo nada, apenas observando o lago.

Voltei ao centro para ver tudo aquilo que eu não podia comprar: joias! rs

Brinks!, mas Bellagio é mesma conhecida por ser uma cidade frequentada por ricos, então existem lojas e restaurantes caros a beira do lago. Além de inúmeras escadarias. Fico imaginando subir com mala e não deve ser legal.

Daí eu lembro que a pessoa que se hospeda nessa cidade é rica e paga alguém para subir a mala para ela, então está tudo certo! rs

A cidade é bastante charmosa e peculiar, exatamente por essas escadarias que você nunca sabe onde vão dar. Vale muito a visita.

Centro de Bellagio

Centro de Bellagio (a cor do céu <3)

Peguei um gelato e parti para Como. A viagem é curta e a vista é incrível. Você pode avistar cada uma das pequenas cidades que ficam em volta do lago. Tão típicas e pequeninas. Dá vontade de ir parando em cada uma delas.

Uns três dias no lago de Como: recomendo.

A cidade que dá nome ao lago

A cidade que dá nome ao lago

Cheguei em Como com o sol se pondo e que visão maravilhosa. Como é igual Lecco: mais cidade-cidade. Varenna e Bellagio têm uma cara diferente, mais rústica talvez. Em Como, já era possível ver um movimento maior, mais cara de urbana mesmo.

A belíssima catedral de Como

A belíssima catedral de Como

Visitei a catedral, que tem uma fachada e uma cúpula lindíssimas. Depois voltei para a beira do lago para ver alguns monumentos: o templo Voltiano, dedicado a Alessandro Volta, que inventou a pilha, e o Monumento ai Caduti, aos caídos na Primeira Guerra.

Parei um pouco para ver o por do sol e então me lembrei que não sabia onde ficava a estação e estava prestes a escurecer. E eu odeio andar por ruas que eu não conheço à noite.

Perdi o trem por uns 20 segundos. O tempo de eu olhar no placar e ver: olha, esse que está na plataforma 1 é o meu… e se foi! rs

Fui pedir ajuda para um funcionário da Trenitalia e ele me disse que sairia um para Monza, onde eu faria a baldeação em 5 minutos com destino a RHO Fiera (local da EXPO Milano). Foi ótimo e é claro que ele chegou atrasado uns 10 minutos, mas ainda assim, consegui pegar uma conexão para Bergamo logo que cheguei em Monza. O de Bergamo também atrasou no caminho.

Ressalto a minha incrível habilidade de escolher vagões errados: com grupos de adolescentes escandalosos (que inclusive bebem whisky na frente do professor) – o que me faz lembrar que adolescente é adolescente em qualquer parte do mundo – ou com a criança birrenta.

Que lindo dia!

Que lindo dia!

Mas graças a Deus o que fechou o dia foi uma lua cheia maravilhosa, parecia até de mentira. Dessa eu não tenho foto porque nem tudo é fotografável nessa vida… ainda bem! ;)

PS.: RIP, meu mini tripé, que resolveu morrer praticamente no penúltimo dia. Você foi um ótimo companheiro, tirando fotos minhas, mesmo quando as pessoas riam de nós dois juntos! rs

Fotos: Lago de Como por Una lucciola…

Anúncios

2 comentários sobre “#Eurotrip2015: dia 11

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s