#Eurotrip2015: dia 5

#Eurotrip2015: dia 5

headphone Para ler ouvindo: Descobridor dos 7 Mares – Tim Maia
“Eu bem cheguei, quero ficar bem à vontade, na verdade eu sou assim, descobridor dos sete mares, navegar eu quero”.

Acordei e tive uma bela vista da minha janela (foto). Como não amar?

Depois disso, o estresse (afinal, sou paulistana. Tudo me estressa, rs) para achar a plataforma onde passava o shuttle para o Kristallwelten da Swarovski. E depois de correr de um lado e de outro, descobri que ela fica na porta da saída da estação de trem. Na saída, à esquerda, em frente ao ponto de táxi.

No ponto, tem uma foto do Kristallwelten com os horários de saída. A outra parada dentro da cidade é em frente ao Kaiserliche Hofburg ao lado do Nationaltheater.

É bom ficar atento aos horários porque os ônibus saem a cada uma hora e meia e voltam a cada duas horas. O Mundo de Cristais da Swarovski fica em outra cidade, Wattens, a uns 35 minutos de Innsbruck.

Entrada da Cave of Wonders

Entrada da Cave of Wonders

Eu diria que é um lugar interessante, mas não totalmente essencial para visitar se você estiver em Innsbruck, principalmente se seu tempo estiver apertado. É um bom programa para família porque ele também conta com uma parte externa e a grande atração é o que eles chamam de Caverna das Maravilhas.

Lá dentro, estão expostas algumas obras de arte feitas com cristais Swarovski ou até mesmo algumas peças de roupa. Do lado de fora, o que eu mais gostei foi a nuvem de cristais, mas tem que ser em um dia com sol, pois quando os cristais refletem, fica muito bonito!

Nuvens de cristais

Nuvens de cristais

Ainda tem um labirinto, jardim e um pequeno espaço para as crianças brincarem. Dentro, claro, existe uma loja que vende de tudo quanto é coisa feita com cristal Swarovski. E eu não faço ideia se elas custam menos lá do que nas lojas regulares.

Olhe para mim e veja se eu tenho cara de quem compra Swarovski… rs.

Digo que ela não é essencial porque é isso: obras feitas com Swarovski, um jardim e um ingresso bem caro: €19,00 por pessoa e mais €9,50 pelo serviço de shuttle. Em um mundo de Swarovski até para entrar se paga caro…

Voltei para Innsbruck e desci no ponto do Kaiserliche Hofburg para poder visitá-la, já que tinha esquecido no dia anterior. O Palácio Imperial foi feito em estilo barroco com detalhes em rococó. Ele é bem bonito, com um salão principal maravilhoso, mas apenas alguns quartos podem ser visitados atualmente.

Não é possível fotografar lá dentro. Os quatros têm informações sobre onde ficavam os móveis e quais deles sumiram. Eu achei tudo muitíssimo bem conservado, mas claro que muita coisa passou por restauração. O salão principal foi preenchido com quadro das pessoas conforme elas morriam (sim, é meio macabro, rs).

Acho que essa é uma característica tão forte desse palácio em especial que no momento, ele recebia, no primeiro andar, uma exposição temporária que falava exatamente sobre a morte.

Eu me permiti almoçar decentemente nesse dia e parei no Stiftskeller, que eu recomendo. Fica no centro histórico, perto do Palácio Imperial. Preciso dizer que a única coisa deprimente foi não ter conseguido comer meu prato inteiro porque TAQUEOPARIU, estava tão bom! rs

Diria que ter pedido o Aperol Spritzer, que é diferente do italiano porque não vai prosecco nem água gaseificada ou soda, não foi uma ideia muito genial porque eu tive muito sono depois, rs.

À tarde, foi o período de visitar três museus (não façam isso – principalmente se beberam Spritz, rs). Comecei pelo museu do Goldenes Dachl, que eu achei tão pequeno. Acho que são cinco salas mais uma vista para a “sacada”, que mal dá para ver alguma coisa da cidade dali, já que você não pode entrar na sacada.

Ele conta a história do telhado, como foi construído, etc. Tem uma parte para crianças, então é uma opção para quem tem filhos. De lá, ao lado do Palácio e junto com a Hofkirche, que já tinha visitado, fica o Tiroler Volkskunstmuseum, o museu de tradições tirolesas tem a maior coleção de tesouros do passado do Tirol.

Opinião dos adolescentes austríacos sobre a nazismo: ainda há esperança!

Opinião dos adolescentes austríacos sobre a nazismo: ainda há esperança!

A parte que mostra a roupa e as casas da época eu achei bem, bem interessante. Também tem uma parte muito extensa que mostra vários artesanatos da época. Acho que são três andares de museu. Ele é grande e confesso que fiquei cansada, rs.

A Hofkirche vista pelo museu

A Hofkirche vista pelo museu

Ah, importante: esse museu dá acesso à Hofkirche pela parte de cima. A porta abre automaticamente. Levei um susto do c*cete. Parecia coisa de filme macabro, ainda mais depois de ter encarado uma exposição sobre morte, mas sigam a luz para ter uma bela vista da igreja da corte!

Catedral de Innsbruck

Catedral de Innsbruck

De lá, passei na catedral, a Domkirche zu St. Jakob, que é lindíssima. Ela foi muito danificada durante a Segunda Guerra, mas foi restaurada depois. Hoje, a fachada está impecável e a parte de dentro é muito bonita.

Precisa pagar €1,00 para fotografar. Não é zoeira, rs.

Sim, eu paguei! rs

Sim, eu paguei! rs

Segui para o Tiroler Landesmuseum Ferdinandeum, o principal museu da cidade e que fica mais para fora do centro histórico, indo em sentido à estação. É o maior também e conta a história do Tirol desde a pré-história até a Idade Média.

Tiroler Landsmuseum Ferdinandeum

Tiroler Landsmuseum Ferdinandeum

Tem ainda uma seção de obras holandesas, barrocas, góticas e romanas, além de uma parte com instrumentos antigos. Nesse momento, eu já estava exausta tanto física quanto mentalmente. Particularmente, também não achei os museus de Innsbruck tão interessantes.

Voltei para o centro histórico para experimentar a famosíssima torta Sacher. Essa torta nasceu no hotel Sacher, que é de Viena. A torta, resumindo de uma forma simples, nada mais é que um bolo trufado de chocolate. O pedaço custa €5,60.

Sacher Torte

Sacher Torte

Assim, não é a melhor torta/bolo que eu comi na vida, do tipo: meu Deus, como eu pude viver sem isso até agora?!? Mas acho que vale pela experiência e caso você queira desembolsar quase €6,00 em uma fatia de bolo.

Dizem que chega a ter fila para entrar no café e o local é bem “gourmet”, usando termos atuais. Mas não tem taxa de serviço. Em outros cafés da cidade, a torta também é vendida, mas não é a versão ‘original’, feita pelo hotel Sacher. Não provei nenhuma outra para comparar.

O belo rio Inn

O belo rio Inn

Encerrei o dia no centro passando pela Innbrücke. Innsbruck recebe esse nome porque ele significa “ponte do rio Inn”, o rio que corta a cidade. E que vista ♥

Fotos: Innsbruck por Una lucciola…

Anúncios

2 comentários sobre “#Eurotrip2015: dia 5

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s