Stefano Rosso

Stefano Rosso

Stefano Rosso nasceu em Roma, 7 de dezembro de 1948 e morreu em 15 de setembro de 2008, aos 59 anos. Foi cantor e compositor italiano.

Começou a trabalhar como ajudante de padeiro, após terminar o ensino médio, e aprendeu a tocar violão com um amigo nos fundos de uma quitanda e desenvolveu sua habilidade nas noites de Roma.

A característica de suas músicas é a simplicidade. Normalmente, somente ele e o violão, com textos irônicos, irreverentes e pessoais. Uma mistura entre o country e o folk americanos.

Ele começou a tocar, profissionalmente, com seu irmão mais velho Ugo, formando a dupla Remo e Romolo (sim, Rômulo e Remo, os fundadores de Roma) e é assim que ele fez seu lançamento da indústria musical.

A dupla ganhou um concurso “O Festival dos Desconhecidos” em 1968, mas o disco, intitulado “Arca di Noè” não obteve muito sucesso. Eles lançaram ainda mais um álbum, mas o irmão então decidiu seguir a carreira de enfermeiro.

Stefano então passou a se apresentar sozinho. Em 1976, publicou o álbum “Letto 26”, que conta sua vida em Trastevere, na rua della Scala, e teve um pequeno sucesso de vendas. Logo em seguida, lançou “Una Storia Disonesta”, que mencionava, talvez pela primeira vez em uma música italiana, um baseado, lo spinello em italiano.

Enquanto isso, ele continuou escrevendo para outros artistas e lançando outros álbuns que também apresentavam pequenos sucessos. Chegou a participar do Festival di Sanremo em 1980 com a música L’italiano.

Depois de uma desilusão amorosa, entrou para a legião estrangeira, um destacamento militar formado por voluntários. Voltou a gravar somente em 1985, mas sua carreira declinou bastante e desde essa época até sua morte em 2008, lançou pouca coisa inédita.

Nos últimos anos, ele vivia de shows e álbuns, normalmente ao vivo ou acústicos. Morreu em Roma em 2008, aparentemente, de uma doença que ele tinha, mas escondeu de todos.

Quando ouvi o último álbum do Alex Britti, Bene Così, uma das faixas não era de autoria dele. A faixa Gli Occhi Dei Bambini foi deixada por Stefano Rosso e permanecia inédita até então. Foi assim que eu o conheci.

Como gostei muito dela, fui procurar saber quem era Stefano e me deparei com sua canção de maior sucesso, Una Storia Disonesta, que eu adorei logo de cara, muito irreverente e divertida ao mesmo tempo.

Gostei tanto que acho que ouvi toda sua discografia.

O cantor tem exatamente esse estilo: uma mistura entre country e folk americanos, que funciona muito bem para ele e sua voz. É muito gostoso ouvir suas músicas e suas letras são bem interessantes.

Se você está procurando algo mais folk da música italiana, Stefano Rosso é uma boa aposta!

Este post foi programado, pois atualmente estou de férias. Comentários, erratas, entre outros serão verificados após o dia 03 de novembro de 2015. Para não perder as postagens, acompanhe o blog no Facebook, Twitter, Google+ e Instagram. Até a volta! ;)

Foto: Stefano Rosso (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s