Rossopomodoro: eu fui!

Rossopomodoro: Margherita

Retornei ao Eataly quase três meses após minha primeira visita com o desafio de almoçar por lá.

Um casal de amigos de Araraquara (beijos, Sah e Ricardo!) tinha voltado da Espanha e como é difícil eles virem pra cá, eles toparam um almoço comigo e outra amiga (beijos, Morena!).

Como imaginei que o lugar ainda estaria abarrotado de gente, marquei cedo, por volta das 10:00/10:30, pois da minha primeira experiência, pude perceber que o lugar começou a encher por volta das 11:00.

Dito e feito. No horário que chegamos, ele ainda estava bem vazio.

Achei que os restaurantes abriam às 11:30, mas aos finais de semana, eles abrem ao meio dia. E fiquem atentos: nós estávamos esperando e quando vimos, já tinha uma fila na nossa frente que se formou sem a gente perceber. Aconselho a entrar nela já às 11:30 ou vai ter que esperar.

Quando vi as fotos de divulgação das pizzas da Rossopomodoro quase fiquei maluca: idênticas às italianas e pensei: “agora, sim, vou matar saudade”. E a saudade era do contexto: a pizza do tamanho do prato, a massa fina, o pouco recheio e molho.

Porque para ser sincera, a pizza paulistana ganha de lavagem (#MasterchefBr) lavada da italiana, mas eu entendo a diferença conceitual das duas: a italiana preza pela qualidade dos ingredientes, que nenhum sabor se sobressaia demais e tudo esteja em perfeita harmonia. Nós prezamos pelos recheios fartos e bordas recheadas (amo/sou)!

Ricardo e eu fomos de Margherita (R$25,00), a Sah foi de Quattro Formaggi, quatro queijos (R$38,00) e a Morena de Indiavolata, pepperoni (R$38,00).

Acho que a primeira decepção começou na borda e base da massa: muito queimados (Morena que o diga, as bordas dela estavam um verdadeiro carvãozinho). Na Itália, isso também pode acontecer porque a massa é muito fina, mas quando você paga quase 40 Dilmas (e em tempos de recessão), você busca perfeição e que o preço faça jus ao oferecido.

Tirando isso, o tamanho é o mesmo de uma italiana: um pouco maior que um prato (acho que o prato do Eataly é levemente maior que os nossos usuais) e perfeitamente redonda (as italianas nem sempre são tão redondas assim – vide a pizza do Da Michele).

A pizza em si é boa, mas o molho de tomate tinha algo que não ornava. Não sei dizer se estava muito ácido ou até mesmo aguado, eu particularmente não gostei. A muçarela (viu? Aprendi! rs) estava abundante, mas o manjericão era quase inexistente #chateada.

Provei um pedaço da Indiavolata da Morena e achei bem gostosa, melhor que a de Margherita. Ela também achou o molho estranho e salgado, este último, talvez, tenha sido efeito do pepperoni que é mais salgadão mesmo.

Para beber, pedimos um suco brasileiro, 100% natural de limão siciliano com hortelã em água gaseificada. Apenas NÃO. Eu entendo que a missão do Eataly não é levar produtos altamente industrializados e focar mais em coisas artesanais, mas, gente, aquilo é horrível!

Porque você pensa: como uma combinação de limão siciliano com hortelã pode dar errado? Dando errado. Muito errado. Não me lembro a marca, mas fuja dessa opção no cardápio. Pior que nem sei se aqueles refrigerantes italianos oferecidos são muito melhores…

A decepção final veio com o garçom que derrubou a faca em mim e me sujou de molho. Garçom querido, eu sei que eu pedi a pizza mais barata do cardápio, mas meu dinheiro é honesto , viu? rsrs.

Brincadeiras a parte, vi outras trapalhadas de outros garçons. Nos primeiros comentários do Eataly, eu li sobre essa atrapalhação, o que era normal no começo, mas o mercado abriu em maio, né?

Pagamos e saímos (cerca de uma hora depois), e a fila do lado de fora (entre os corredores do mercado) já era bem grande.

Fechamos com um gelato da Venchi. Pedi um meio caramelo único e meio chocolate com laranja. Bem bons, de sabores bem acentuados, que parece ser característica da marca. Talvez sendo um pouco chata (ah vá! rs), senti um gosto de ovo no de caramelo, que vai na receita, mas não sei se a intenção é que ele apareça tanto assim.

No geral, apesar do serviço atrapalhado e das bordas queimadas (a questão do molho pode ser uma infeliz coincidência), a pizza é boa, igual as italianas, a massa é leve (e mesmo assim, não aguentei comer uma inteira) e saborosa, mas os preços… que preguiça! rs

Para quem tem curiosidade de saber como é uma pizza italiana, recomendo uma passadinha lá!

Fotos: Pizzas da Rossopomodoro (Reprodução)

Anúncios

3 comentários sobre “Rossopomodoro: eu fui!

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s