Os Amores Difíceis

Os Amores Difíceis por Una lucciola...

Os Amores Difíceis (Gli Amori Difficili), 1970, é uma reunião de novelas escritas por Italo Calvino entre 1949 e 1967, publicadas pela primeira vez em 1958 no seu livro I Racconti (Os Contos) e depois reagrupadas para essa nova edição. Ele é dividido em duas partes: Os Amores Difíceis e A Vida Difícil.

Na primeira parte, são 13 contos curtos que ilustram diversas formas de amor e das formas mais inusitadas que você possa imaginar: do soldado que “abusa” de uma viúva durante uma viagem de trem até a mulher que perdeu a parte de baixo do biquíni à espera de um alma caridosa para ajudá-la (e que não será uma mulher). Todas as novelas começam com o título “a aventura de…”.

De acordo com alguns, o termo “aventura” foi usado, na maioria das vezes, de forma irônica por Calvino por narrar, na verdade, movimentos interiores e viagens para o silêncio, sendo este entendido como uma dificuldade de comunicação, sempre presente nas relações humanas, mas também ele como um instrumento de compreensão verdadeira.

Os contos abordam casais que não se encontram: o marido e a mulher que não dormem junto porque ele trabalha à noite e ela, durante o dia, mas ainda assim, conseguem deixar um rastro de carinho na cama onde dormem; da mulher que sente ter traído o marido, mesmo não tendo feito de fato; do míope que ao tirar e colocar os óculos passa a ver o mundo de forma diferente e volta à sua cidade natal; e do casal que mora em cidades diferentes, brigam por telefone e iniciam uma corrida frenética para chegar na casa do outro e fazer as pazes.

Na segunda parte, a temática deixa de ser o amor e passa para a vida. São duas novelas mais longas que as que se encontram na primeira parte do livro.

Em “A Formiga-argentina”, Italo escreveu um conto mais pessoal: “é o conto mais realista que eu já escrevi; descreve com exatidão a situação da invasão das formigas-argentinas na plantação de San Remo e boa parte da Riviera di Ponente na minha infância, anos 20 e 30”.

A história, que fala de uma família que se mudou para Riviera di Ponente e encontra um inimigo invisível e incontável: a formiga-argentina. No vilarejo, cada habitante tem sua forma de lidar com o problema: uns atacam com inseticidas, sem eficácia; outros, com armadilhas engenhosas que matam, mas não significada nada em relação as outras milhares que continuam vivas; alguns optam por fingir que elas não existem; e por assim vai.

O conto cresce à medida que cresce a angústia da família para tentar solucionar o problema.

Já em “A Nuvem de Smog”, a vida difícil faz parte da poluição que envolve não apenas uma cidade, mas invade cada coisa que toca. O protagonista não tem nome e chega à cidade para trabalhar como redator de “A Purificação”, que visa combater a poluição.

Aqui também cada um encontra seu modo de combater a poluição: uns escapam para as montanhas nos finais de semana; outros optam por manter todos os cômodos límpidos e puros, mas somente os que não habitam, para que não se sujem com a poeira; outros preferem tratar do problema com hipocrisia, não deixando claro se são contra ou a favor da nuvem.

O personagem principal que ele mesmo declara no início do conto não gostar de chamar atenção para si, gostar de passar desapercebido, parece ser o único a querer sair dessa nuvem que envolve a cidade e a vida daqueles que moram nela.

A impressão que eu tive ao terminar grande parte dessas novelas escritas por Calvino, além de sua grande genialidade como escritor, era a de ter levado um soco no estômago. Não à toa, muitos críticos consideram essa uma das melhores obras de Italo.

Finalizo com um dos meus trechos preferidos, que se encontra na história “A aventura de um empregado de escritório”:

“Este é o segredo”, decidiu, voltando para sua sala: “que a cada momento, em cada coisa que faço ou digo, esteja implícito tudo o que vivi”.

Lembrando que o que me motivou a ler esse livro foi exatamente essa “premonição” de Italo em relação ao Instagram (rs). Os contos estão organizados em ordem cronológica, conforme foram escritos, e foram selecionados pelo próprio Calvino.

Mais do que recomendada sua leitura. Reflexões sobre as coisas pequenas e grandes da vida certamente garantidas.

Foto: Os Amores Difíceis de Italo Calvino por Una lucciola…

Anúncios

2 comentários sobre “Os Amores Difíceis

  1. Jorcianne disse:

    Esse livro é mesmo muito bom. Aliás, Calvino é sempre fantástico, meu favorito dele é “O Visconde Partido Ao Meio”, acho a mensagem final linda.
    Está lindo o blog! Adoro seus textos!
    Um beijo!

    Curtir

    • Isabela disse:

      Ciao, Jorcianne!
      Também gostei muito da mensagem do Visconde. Quero ler outros dele!
      Obrigada! Espero que continue visitando!
      Baci!

      Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s