Intercâmbio

Intercâmbio

Grande parte das pessoas, que busca melhor qualificação profissional nos dias de hoje, procura fazer um intercâmbio. Da minha experiência como professora de idiomas, era praticamente uma obrigação ter – pelo menos – viajado para fora nas entrevistas. Isso já te colocava bem a frente dos outros candidatos.

Realmente, o intercâmbio é uma experiência incrível que eu aconselho a todos os meus alunos. Mas não só pelo idioma em si, mas também pelos benefícios que ele vai te trazer pessoal e espiritualmente.

Acredite, a língua será apenas um plus.

Poder vivenciar outra cultura, outros hábitos, outras religiões, outra gastronomia, enfim, outro tudo é uma coisa absolutamente maravilhosa. Será uma experiência que vai te acrescentar muito, vai expandir seus horizontes e provavelmente você não vai voltar igual àquela pessoa que partiu.

Ainda assim, a maioria quer ir por uma questão do idioma.

Meu conselho, novamente a partir da minha visão de professora, é sempre o mesmo: procure uma cidade com menos brasileiros possíveis (não vá para as populares).

Se seu objetivo é realmente aprender uma nova língua, procure não mencionar que é brasileiro ou você perderá o foco de sua viagem. Falar português será natural – você nem irá perceber.

Por isso, seja persistente. É normal chegar a um país e se sentir ‘engolido’ por tanta informação nova e, consequentemente, ‘travar’. A adaptação pode levar alguns dias. Não deixe que isso seja motivo de frustração. Permita-se esse tempo para se adaptar.

Mas mais importante: não acredite que o intercâmbio será a solução dos seus problemas. Muitos alunos acham que precisam fazer para destravar ou porque só assim eles irão aprender.

ERRADO!

Tudo na vida depende de foco e força de vontade. Se você tiver ambos aqui, no Brasil, nada irá te impedir de aprender.

Eu conheço vários professores excelentes que não estiveram – nem em pensamento – na terra da língua que eles lecionam. E eles são muito bons, com fluência, dicção e vocabulário melhores (mas muito melhores) que muitos que moraram anos fora e se acham na capacidade de ensinar uma língua por conta disso.

Lembre-se também que um professor nativo nem sempre é o melhor para você. Eles são excelentes para melhorar fluência e vocabulário, mas podem pecar na parte gramatical. Professores que têm a mesma língua mãe que a sua podem te ajudar mais nessa parte.

Quando fui à Itália, eu estudava há pouco tempo, mas eu me preparei para a viagem. O italiano não foi uma barreira – pelo contrário – não tive problemas e muitos se surpreendiam com ele. Meu inglês também foi testado com a americana que morou comigo, que também se surpreendeu com minha fluência – ao ponto de, ao estar com ela, eu ser confundida com uma americana (sem nunca ter estado na terra do Tio Sam ou da Rainha).

Portanto, tudo depende do que te motiva e do que você realmente quer.

Resumindo (porque o texto é longo, rs), se puder, faça intercâmbio, mas faça-o de forma consciente, ou seja, aproveitando ao máximo a experiência, a cultura local, a diversidade, os hábitos, a culinária e por fim o idioma!

É algo único, que te enriquecerá muito! Saiba aproveitar essa oportunidade, que pode ser única!

Foto: Intercâmbio (Reprodução)

Anúncios

2 comentários sobre “Intercâmbio

  1. Thais Helena disse:

    Verdade! Eu que na adolescência perdi uma oportunidade de fazer intercâmbio, sei o quanto de arrependimento carrego até hoje. Correndo atrás como posso… e seguindo o que a vida me aguarda!
    Baci e buon fine settimana

    Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s