O Nome da Rosa: filme

O filme de Jean-Jacques Annaud de 1986 é baseado no romance homônimo do autor italiano Umberto Eco. Ganhou vários prêmios internacionais, incluindo quatro David di Donatello em 1987.

A história se passa em 1327 em um mosteiro beneditino no norte da Itália. Por conta de um grande conselho franciscano que irá acontecer, o monge William de Baskerville (Sean Connery) chega ao local acompanhado de seu auxiliar, o jovem Adso.

Porém, uma série de mortes desperta a atenção do monge que passa a investigá-las. Os monges passam a creditar as mortes ao demônio e também ao Apocalipse. Enquanto isso, a Inquisição continua punindo os hereges.

Achei o filme bastante interessante. Tive que assisti-lo por conta da faculdade e ele demonstra bem o poder da Igreja na Idade Média, assim como o da Inquisição.

Todo o mistério gira em torno da biblioteca do mosteiro que era o maior acervo cristão da época e que era protegida a sete chaves. O livro protegido em questão era de Aristóteles, que falava sobre o riso – proibido no local por ser considerado um ato mundano.

Interessante por mostrar como a Igreja queria controlar o conhecimento, por medo de que este desmistificasse o que era dito para a Bíblia e com isso a Igreja perdesse o poder.

Talvez muitos (como eu, rs) se perguntem porque o filme/livro recebe este nome (simbolismos, minha gente! rs). De acordo com as pesquisas na internet, temos o seguinte:

  1. A frase que aparece no final do filme (e do livro), “Stat rosa pristina nomine, nomina nuda tenemus”, que significa: “a rosa antiga permanece no nome, nada temos além do nome” – mesmo as coisas que não existiram ou deixaram de existir, deixam para trás um nome (o livro de Aristóteles, centro da trama, pode nunca ter existido, mas deixou um ‘nome’);
  2. A expressão “o nome da rosa” era muito usada na Idade Média para representar o poder infinito das palavras, a rosa fica apenas no nome, mesmo que ela não esteja presente ou exista. No caso do filme, a rosa pode ter sido a biblioteca com seus inúmeros livros e conhecimento jamais vistos (e que acabam queimados).

Fiquei bastante curiosa para ler o livro, pois o filme já vale a pena!

Foto: Cena do filme (Reprodução)

Anúncios

4 comentários sobre “O Nome da Rosa: filme

    • admin disse:

      Ciao, bella!
      Il libro, l’ho scaricato qualche mese fa, però mi sembrava un po’ difficile di leggere in italiano, forse perché è un po’ antico. Ma ci provo, eh?
      Buona settimana anche a te!
      Baci!

      Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s