Os 100 destinos mais bonitos do mundo

Matéria da revista Viagem e Turismo do mês de outubro de 2012 destaca os 100 destinos mais bonitos do mundo. A Itália, claro, não podia ficar de fora e oito cidades receberam esse “título”. Confira:

Veneza

“Existe um nome em algum idioma que faça sonhar mais do que esse?”, perguntou o escritor Guy de Maupassant se referindo a Veneza. Não é preciso ter passado pela cidade para intuir a resposta. Mas tem certeza dela quem esteve por lá.

Veneza inspirou, com seus edifícios, canais e palácios, escritores e cineastas, músicos, fotógrafos, casais e amantes. As ruas estreitas e labirínticas encantam e prendem a alma dos visitantes. Impossível passar ileso pela Praça e Basílica de São Marcos, não se emocionar ao ver pela primeira vez a Ponte dos Suspiros ou ignorar a Ponte de Rialto. Como não querer voltar a visitar, ou pela primeira vez, os palácios Ca’d’Oro e Grassi? E, o mais óbvio desejo dos jovens casais, navegar de gôndola pelos canais da Sereníssima, é possível conter?

Muitos outros escritores, mesmerizados pela beleza de Veneza, reflexo de sua importância comercial na Idade Média e no Renascimento, escreveram sobre ela. O americano Truman Capote deu-lhe tintas contemporâneas: “Veneza é como comer uma caixa inteira de bombons de uma vez só”.

Se você acha que nunca terá dinheiro para curtir a cidade das gôndolas, temos um achado para você se hospedar: o Albergo Antico Capon, com quartos privados (com e sem banheiro), situado na animada Piazza Santa Margherita.

Portofino

A gema da Riviera Italiana, fotogênica de doer seja do mar, de suas escarpas, de suas casas terracota.

Romântica e belíssima, a região da Ligúria apresenta um dos pontos mais glamorosos da terra da bota – não espere bons preços, menos ainda no hotel Splendido. Entre as principais atrações estão as belas igrejas de San Martino (Vico Nuovo, 42), do século 16, e a de San Giorgio (Piazza San Giorgio), que guarda relíquias do santo que é o padroeiro local.

Capri

Ruínas romanas por trás de rochedos em uma ilha de apenas 6 quilômetros de comprimento e sua famosa Gruta Azul.

Se estiver na ilha da baía de Nápoles, confira o inspirador Jardim de Augusto (Via Giacomo Matteotti), que fica no alto de um penhasco e tem uma vista incrível do mar. O melhor é sair de lá e descer a pé até a marina pela Via Krupp: você demora mais ou menos uma hora, mas vale a pena.

Roma

Marque um encontro na Piazza Navona ou na Villa Borghese, perto da Coluna de Trajano, no Vaticano…

A cidade eterna tem, também, uma gastronomia de enlouquecer. Em qualquer esquina, por cerca de € 3, você pode se deliciar com um tramezzino (sanduíche de pão de fôrma comprido). Agora, se quiser fazer bonito, vá ao La Pergola, que possui três estrelas do Guia Michelin, a distinção máxima de um restaurante. Ele fica dentro do Hotel Hilton, tem uma vista maravilhosa e mais de 50 mil garrafas em sua adega. O chef é o premiado alemão Heinz Beck. Reserve com pelo menos um mês de antecedência.

Taormina

Gema da Sicília encravada no alto de um morro, com ruínas greco-romanas e um mar cristalino de cinema.

Contornada pelo Etna, a cidade siciliana mais procurada pelos turistas tem praias que figuram entre as mais belas da Europa. O sol batendo nas primaveras repletas de flores magenta fazem qualquer ruazinha virar um show. Imperdível: tomar um amaro com gelo no centenário bar Wunderbar, no meio do burburinho, e ter como cenário o azul e calmo Mar Jônico.

Florença

A grana do Renascimento ergueu coisas belas e decorou-as com outras mais ainda, como os Botticelli da Uffizi.

Já que estamos na capital artística italiana, uma dica é perder-se pela Piazza della Signoria, o melhor museu a céu aberto florentino. Lá estão esculturas célebres do Renascimento (ou suas réplicas), como a do duque de Médici montado em seu cavalo, criada por Giambologna; O Rapto das Sabinas, também de Giambologna; Il Marzocco, de Donatello; e a cópia da onipresente Davi, de Michelangelo.

San Gimignano

Elas já foram 72, mas hoje 14 torres ainda atestam o poder que essa maravilha medieval deteve no século 13.

Enquanto você conta as torres no skyline, pode se refrescar na Gelateriadi Piazza, que já recebeu prêmios de melhor sorvete do mundo. O maior sucesso ali é o sabor de frutti di bosco (frutas vermelhas com pedacinhos de amora e framboesa).

Cinque Terre

Cinco vilarejos incrustados sobre montanhas à beira-mar, ligados pela Via dell’Amore, uma trilha apenas para pedestres que une os povoados em caminhadas de no máximo 20 minutos. Não é um destino de primeira divisão da Itália (leia-se: de turismo de massa), mas esconde uma beleza incomparável no colorido das casas, na inclinação das vielas e no número de mirantes com vista privilegiada para o Mar Tirreno. Acomode-se em um restaurante, peça uma massa ao pesto, o tempero criado na região. Ah, felicità!

Riomaggiore é a base mais econômica para explorar Cinque Terre. Na Via Colombo, o Affittacamere Patrizia coloca os hóspedes em espécies de casinhas, onde se chega subindo e descendo escadas. Um lugar bacana para um café é o Il Pirata delle 5 Terre, que reserva um cannoli famoso – versões com recheio de ricota ou chocolate.

Retirado da revista Viagem e Turismo de Out/2012
Foto: Veneza (Reprodução)

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s