Esco A Fare Due Passi

Esco a Fare Due Passi por Una lucciola...

Primeiro romance de Fabio Volo, escrito em 2001.

“Esco a Fare Due Passi” (algo como ‘saio para dar uma volta’) conta a história de Nico, jovem de 28 anos, que tem várias dúvidas em relação a vida e considera-se ainda muito imaturo para a idade.

Trabalha como DJ em uma rádio e durante o livro conta suas histórias em relação ao trabalho, às mulheres e até mesmo às drogas.

Esse foi o segundo livro que eu li em italiano, também do Fabio Volo (o primeiro foi “Il Giorno In Più“).

Eu achei o livro confuso por muitas vezes. Dividido em capítulos, nos quais o personagem reflete sobre coisas diferentes, às vezes fica faltando aquele desfecho, algo que conecte as ideias do capítulo. Eu me senti com um grande “sim, e daí?” – como no capítulo em que ele começa falando da vida de solteiro/morar sozinho e termina com uma receita de massa… oi?

O personagem escreve uma carta com todas as suas dúvidas em relação a vida para ele mesmo. Essa carta será lida pelo próprio daqui cinco anos. Ele espera que o “eu” do futuro possa responder suas dúvidas do agora e/ou que já tenha respostas para as questões da vida.

Nico sente-se inseguro sobre o que fazer da vida, não sabe se continua como DJ da rádio ou não. Caracteriza-se também pelas expressões/frases repetidas sempre três vezes, a mais comum é: “immaturo, immaturo, immaturo” (imaturo), pois é assim que ele se vê.

Espere ler muito sobre sexo e algumas descrições chegam a ultrapassar bastante o bom senso (diferentemente de “Il Giorno In Più”), mas deve-se levar em consideração que esse foi o primeiro livro escrito pelo autor. O personagem também fuma bastante (maconha, rs).

Ainda assim, existem momentos de bastante lucidez nas reflexões do personagem e o senso de humor do autor se faz notar em vários momentos.

Não sei se pelo meu próprio momento, eu me identifiquei em vários momentos com o personagem e até mesmo com algumas de suas descrições, tipo: “hey, eu sei como é/já passei por isso”!

Gostei bastante de algumas frases da parte final do livro:

Mollare tutto è coraggioso o significa scappare? Rimanere e impergnarmi in quello che faccio è coraggioso o significa arrendersi?
Largar tudo é corajoso ou significa escapar? Ficar e me impenhar no que eu faço é corajoso ou signfica se render?

Concludendo, sono in gabbia e tutto questo sfogo non è altro che il lamento di chi ne è consapevole e sa anche che tutto dipende solo da lui. Sono io stesso il mio carceriere.
Concluindo, estou em uma jaula e toda essa fuga não é nada além de o lamento de quem é consciente disso e sabe também que tudo depende só dele. Sou eu mesmo o meu cárcere.

Leitura fácil e até agradável, mesmo com todo o sexo exagerado e as “dorgas”, rs.

É possível adquirir a versão italiana do livro na Livraria Saraiva.

Foto: Esco a Fare Due Passi por Una lucciola…

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.